sexta-feira, 29 de maio de 2009

Hóquei: Campeões Europeus 1977



Mário disse...

18 de junho de 1977 - Os "Cinco-Magníficos"

"Fruto de vontades várias, o Sporting construiu na segunda metade da década de 70 uma prodigiosa equipa de hóquei em patins. Para muitos o melhor "cinco patinado" da história da modalidade, não apenas em Portugal, mas no mundo inteiro. O domínio interno do Sporting, por essa altura, era quase avassalador, mas faltava a coroação internacional, o troféu que nunca tinha vindo para Portugal. Ficou sempre até essa data em Espanha, onde se conseguiam formar melhores equipas de clube.

Mas em 1977 a história mudou. A equipa do Sporting era formada por um inolvidável quinteto, constituído por António Ramalhete, Júlio Rendeiro, João Sobrinho, António Livramento e "Chana" (Vítor Carvalho de nome próprio). Cinco atletas de eleição, aos quais se juntavam os habituais suplentes Jorge Costa, José Garrido, Carlos Alberto e segundo guarda-redes, Carmelino. O primeiro adversário do Sporting nesta caminhada europeia era da Suiça, chamava-se Montreux (terra de tradições no hóquei) e foi positivamente "amassado" pelo rolo compressor leonino: 18-1 e 11-3, nas duas "mãos", da primeira eliminatória.

Veio depois a fortíssima equipa espanhola do Voltregá, Bi-Campeã em título (1975, 1976). Era uma espécie de final antecipada em dois jogos. Em Espanha, num recinto ao ar livre e debaixo de chuva diluviana, onde a bola mal rolava (os jogadores do Sporting não estavam habituados a isso), o Voltregá ganhou por 5-2. O sonho parecia esfumar-se. Mas no jogo de retribuição, em Lisboa, assistiu-se a um dos mais fenomenais "recitais" de hóquei em patins da história do jogo em Portugal. O Sporting ganhou por 8-3 (em terreno próprio para se jogar hóquei!) e acedeu à final, que seria também disputada em dois jogos.

O adversário era de novo espanhol, o Villanueva. Primeiro jogo em Lisboa e logo aqui tudo pareceu ficar definido: 6-0. No final, uma declaração de Carlos Trullols, mítico guarda-redes da selecção de Espanha: "Sofri seis golos e fiz uma das melhores exibições da minha vida". Sintomático. Em Espanha, a confirmação: nova vitória, desta vez por 6-3. O Sporting era campeão europeu e pela primeira vez, em 12 edições, o troféu vinha para Portugal. Houve festa rija à chegada da comitiva a Lisboa, que seguiu depois em cortejo triunfal para o Estádio José Alvalade."

Texto extraído de um post dedicado a uma das modalidades que me é mais querida:

http://sportingatletismo.blogspot.com/2008/02/1977-sporting-campeo-europeu-de-hquei.html

Imagem cedida por Alexandre Ribeiro:
http://coleccionadordesportivo.blogspot.com/

4 comentários:

Rafael Marcelino disse...

Que saudades desta e de outras equipas bem como das modaldades (Ditas Amadoras).
Vivó SPORTING que eu conheci quando Nasci.

Mário disse...

18 de junho de 1977 - Os "Cinco-Magníficos"

"Fruto de vontades várias, o Sporting construiu na segunda metade da década de 70 uma prodigiosa equipa de hóquei em patins. Para muitos o melhor "cinco patinado" da história da modalidade, não apenas em Portugal, mas no mundo inteiro. O domínio interno do Sporting, por essa altura, era quase avassalador, mas faltava a coroação internacional, o troféu que nunca tinha vindo para Portugal. Ficou sempre até essa data em Espanha, onde se conseguiam formar melhores equipas de clube. Mas em 1977 a história mudou. A equipa do Sporting era formada por um inolvidável quinteto, constituído por António Ramalhete, Júlio Rendeiro, João Sobrinho, António Livramento e "Chana" (Vítor Carvalho de nome próprio). Cinco atletas de eleição, aos quais se juntavam os habituais suplentes Jorge Costa, José Garrido, Carlos Alberto e segundo guarda-redes, Carmelino. O primeiro adversário do Sporting nesta caminhada europeia era da Suiça, chamava-se Montreux (terra de tradições no hóquei) e foi positivamente "amassado" pelo rolo compressor leonino: 18-1 e 11-3, nas duas "mãos", da primeira eliminatória. Veio depois a fortíssima equipa espanhola do Voltregá, Bi-Campeã em título (1975, 1976). Era uma espécie de final antecipada em dois jogos. Em Espanha, num recinto ao ar livre e debaixo de chuva diluviana, onde a bola mal rolava (os jogadores do Sporting não estavam habituados a isso), o Voltregá ganhou por 5-2. O sonho parecia esfumar-se. Mas no jogo de retribuição, em Lisboa, assistiu-se a um dos mais fenomenais "recitais" de hóquei em patins da história do jogo em Portugal. O Sporting ganhou por 8-3 (em terreno próprio para se jogar hóquei!) e acedeu à final, que seria também disputada em dois jogos. O adversário era de novo espanhol, o Villanueva. Primeiro jogo em Lisboa e logo aqui tudo pareceu ficar definido: 6-0. No final, uma declaração de Carlos Trullols, mítico guarda-redes da selecção de Espanha: "Sofri seis golos e fiz uma das melhores exibições da minha vida". Sintomático. Em Espanha, a confirmação: nova vitória, desta vez por 6-3. O Sporting era campeão europeu e pela primeira vez, em 12 edições, o troféu vinha para Portugal. Houve festa rija à chegada da comitiva a Lisboa, que seguiu depois em cortejo triunfal para o Estádio José Alvalade."

Texto extraído de um post dedicado a uma das modalidades que me é mais querida:

http://sportingatletismo.blogspot.com/2008/02/1977-sporting-campeo-europeu-de-hquei.html

Nuno, o teu blog está excelente, repleto de verdadeiros tesouros. Continua o bom trabalho.
Uma palavra de igual apreço para Alexandre Ribeiro, que tem disponibilizado magníficas imagens retro.
Abraços.

Xixa disse...

Obrigado pelas tuas palavras Mário!

Eu também agradeço ao amigo Alexandre, excelente pessoa, tem-se tornado um grande amigo meu e de todos, por partilhar connosco a sua vasta colecção. O Alexandre é um grande Sportinguista.

em-alta disse...

Nunca fui grande amante de Hoquei, ou de Voleibol, ou de Basquet mas acompanhava minimamente devido a' grandeza das Modalidades Amadores no Clube (recorde-se que o SCP e' o 2. Clube do mundo com mais trofeus exactamente devido a' contribuicao de outras modalidades para la da esfera do futebol); no entanto, com o desaparecimento destas modalidades e com os Depts a fecharem e a abrirem fui gradualmente deixando de acompanhar estas modalidades, chegando tal desinteresse a uma modalidade que paratiquei (Andebol).
Creio que sermos grandes em termos domesticos (e procurar crescer em termos internacionais) nestas modalidades de maior projeccao (Andebol, Voleibol, Basket e Hoquei) so contribuiria para a continuacao da grandeza do Clube.
Ha pouco mencionei que somos o 2. Clube do mundo com mais trofeus. O nr. 1 e' o FC Barcelona que nunca fechou as portas ao Andebol, Basket e Hoquei. Temos exemplos como os clubes gregos, servios, espanhois. Porque nao continuarmos nessa rota vencedora?
Ja agora, sugiro o que sugiro destes que apareceram as SAD's para o futebol, a criacao de uma SAD para todas as outras modalidades (incluindo o FUTSAL).