terça-feira, 29 de setembro de 2009

Sporting (Juniores)

O Armazém Leonino descobriu mais uma relíquia no seu baú de memórias e vem, uma vez mais, solicitar a preciosa ajuda da sua vasta comunidade de visitantes sportinguistas, no sentido de tentarem identificar os jogadores que compõem a equipa de juniores apresentada na foto em cima.
Desta vez, nem sequer sabemos a que época pertence esta equipa e, dos onze jogadores presentes na foto, apenas identificamos um, o defesa central José Couceiro (o 1º da esquerda, de pé).
José Couceiro teve, aliás, uma carreira discreta como futebolista, abandonando cedo o futebol como jogador. Enveredou, então, pela carreira de dirigente e, mais tarde, pela de treinador, tendo sido, nomeadamente, presidente do Sindicato Nacional de Jogadores de Futebol Profissional e treinador, entre outros clubes, do F.C. Porto e da Selecção Nacional de Esperanças (sub-21).
Fica então lançado o duplo desafio de, por um lado, descobrir quem são os outros 10 jogadores que compõem esta equipa de juniores e, por outro lado, saber de que época é esta equipa.

Equipa do Sporting de 78/79


Ajudem na elaboração desta equipa e deixem os vossos comentários.

Imagem gentilmente cedida por João Caetano do Blogue Super Sporting

Carlos Gomes


Revista "Colecção Idolos do Desporto" dedicada a Carlos Gomes. Imagem cedida por Alfredo Nunes do Blogue Cadernetas e Cromos

Seminário


Revista "Colecção Idolos do Desporto" dedicada a Seminário. Imagem cedida por Alfredo Nunes do Blogue Cadernetas e Cromos

Alexandre Baptista


Revista "Colecção Idolos do Desporto" dedicada Alexandre Baptista. Imagem cedida por Alfredo Nunes do Blogue Cadernetas e Cromos

Onze Ideal década 70/80/90: Avançados/Ponta de Lança Portugueses

ARMAZÉM LEONINO INFORMA

Esta é a lista dos 20 Avançados/Pontas de Lança Portugueses (por ordem alfabética) que vão ser colocados à votação a partir de hoje e durante 30 dias, atenção que nesta votação serão eleitos os 2 mais votados:

Cadete, Chico Faria, Dani, Dinis, Dominguez, Fernando Cruz, Freire, Futre, Gomes, João Luís II, Jordão, Jorge Plácido, Lito, Manuel Fernandes, Marinho, Paulo Alves, Porfírio, Rui Maside, Sá Pinto e Simão

Onze Ideal: os melhores Médios Portugueses

A sondagem realizada neste espaço com objectivo de apurar o Onze Ideal, a pergunta era a seguinte: "Melhor Médio Português?", neste sufragio saiam 4 vencedores e os eleitos foram os seguintes: Figo 74 votos, Pedro Barbosa 14 votos, Oliveira 13 votos, Paulo Sousa 12 votos. Esta votação realizou-se num espaço de 30 dias e obteve 146 votos no total.

Figo 74 votos - 50%

Pedro Barbosa 14 votos - 9%

Oliveira 13 votos - 8%

Paulo Sousa 12 votos - 8%

domingo, 27 de setembro de 2009

As piores épocas do Sporting no Campeonato Nacional: quatro vezes 5º classificado

Nem só de vitórias, conquistas e alegrias é feita a história de um clube e, nesse aspecto, o Sporting não foge naturalmente à regra. Como qualquer clube do mundo, também o Sporting tem passado, ao longo de mais de um século de vida, por momentos menos bons, convivendo com derrotas, frustrações e tristezas que, no entanto, não apagam a grandeza e a gloriosa história do clube leonino.
O Armazém Leonino orgulha-se de ser um espaço privilegiado de divulgação das grandes figuras e dos feitos gloriosos do Sporting ao longo dos tempos, procurando preservar a memória e a história riquíssima deste grande clube. No entanto, como não somos fanáticos nem fundamentalistas, também não nos esquecemos de dar a conhecer os aspectos menos bons e os factos menos felizes da história dos "leões".
Vem esta breve introdução a propósito de mais uma pequena pesquisa que o Armazém Leonino resolveu levar a cabo, a qual se prende com a compilação das piores épocas registadas pelo Sporting no Campeonato Nacional de Futebol da 1ª Divisão.
Assim, apenas em 4 ocasiões o Sporting terminou um Campeonato Nacional abaixo do 4º lugar. Tal verificou-se nas épocas de 1964/65, 1968/69, 1972/73 e 1975/76, nas quais os "leões" ficaram em 5º lugar. Curiosamente, nas épocas seguintes às 3 primeiras atrás referidas, o Sporting sagrou-se Campeão Nacional.
Daquelas 4 épocas, a pior de todas, em matéria de distância relativamente ao campeão, foi a de 1972/73, em que o Sporting ficou a 21 (!) pontos do 1º classificado (Benfica), embora tenha acabado por conquistar a Taça de Portugal, derrotando, na final, o Vitória Futebol Clube (Setúbal), por 3-2.
Também a época de 1975/76 ficou marcada negativamente pelo facto de, pela 1ª e única vez até hoje, o Sporting ter ficado afastado das competições europeias de clubes.

No que diz respeito ainda às piores épocas realizadas no campeonato, refira-se, por exemplo, que o Benfica já obteve um 6º lugar e o F.C. Porto ficou 3 vezes em 5º lugar, uma vez em 6º, uma vez em 7º e uma vez em 9º.
Terminamos como começámos: Nem só de vitórias, conquistas e alegrias é feita a história de um clube. Porque dos fracassos e desilusões também reza a história!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Hilário


Primeira Página da Revista "Colecção Idolos do Desporto" dedicada ao grandioso Hilário. Imagem cedida por Alfredo Nunes do Blogue Cadernetas e Cromos

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Sporting 1983-84 (Juniores)

Desenterrando, uma vez mais, o seu baú de recordações, e vasculhando nos seus arquivos, o Armazém Leonino descobriu, desta vez, uma foto, com cerca de 25 anos, de uma equipa de juniores do Sporting, referente à época de 1983/84.
O Armazém Leonino não consegue identificar todos os jogadores da foto, por isso vem, mais uma vez, solicitar a preciosa ajuda da sua vasta comunidade de visitantes e amigos do blogue.
Assim temos:
Em cima (da esquerda para a direita): ?, Germano, Vítor Santos, Fernando Mendes, Sérgio (g.r.) e ?.
Em baixo (mesma ordem): ?, Ferrinho, Eugénio (cap.), ? e ?.
O desafio está lançado. Ajudem-nos a identificar estes 5 ilustres desconhecidos!

Equipa leonina da época 88/89


Mais uma foto referente à época 88/89, neste dia recebiamos em Alvalade o Benfica. E como a foto documenta a equipa não era a melhor devido a isso o resultado também não foi o mais interessante! Destaco nesta equipa o Silas que era um tecnicista espectacular mas, preguiçoso.

José Carlos


Revista da Colecção Idolos do Desporto de Fevereiro 1970, dedicada ao atleta Sportinguista e internacional Português José Carlos.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Boavista 0 - Sporting 3: de 1990/1991


Este jogo fica marcado pelo facto de o Sporting ter conseguido vencer no Bessa ao fim vários anos, e neste caso foram 3o anos, a nossa última vitória na casa do Boavista foi na época 59/60 por 5-2. Fonte: Sporting Memória

Equipa do Sporting 83/84


Esta foi a equipa que se apresentou no Estádio da Luz na época 83/84, o resultado desse jogo foi um empate a uma bola. Nessa época não fomos além de 3º Lugar, o campeão nacional foi o Benfica. Imagem cedida por João Caetano do blogue Super Sporting

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Os golos "redondos" dos "leões" para o Campeonato Nacional

Para todos aqueles (e são muitos) que apreciam e gostam de curiosidades estatísticas, o Armazém Leonino lembrou-se de pesquisar, compilar e dar a conhecer as datas, os jogos e os jogadores em que se marcaram os chamados golos "redondos", isto é, o milésimo golo e os golos 2000, 3000 e 4000 do Sporting, a contar para o Campeonato Nacional da 1º Divisão.
Já agora aproveitamos para informar que o golo 5000 ainda vem longe, talvez só apareça daqui a 7 ou 8 anos, e mais adiante explicaremos a razão desta estimativa/previsão.
Assim, passamos, de seguida, a descrever os dados mais importantes relativos à obtenção, por parte de 4 jogadores leoninos, de cada uma daquelas marcas históricas em jogos do campeonato nacional.

GOLO 1000 (Época de 1950/51: Sporting campeão): Golo marcado pelo médio Carlos Canário, no dia 14 de Janeiro de 1951, no Estádio do Lumiar, em jogo da 17ª jornada do campeonato, no qual o Sporting venceu o Sporting de Braga por 8-0. O milésimo golo foi o 6º da partida, apontado aos 42 minutos da 1ª parte.
Passados quase 15 anos surgiu o:

GOLO 2000 (Época de 1965/66: Sporting campeão): Golo marcado pelo avançado Ernesto Figueiredo, no dia 11 de Dezembro de 1965, no Estádio Municipal de Coimbra, em jogo da 10ª jornada do campeonato, no qual o Sporting venceu a Académica por 2-1. O golo 2000 foi o 2º do Sporting, apontado aos 89 minutos do encontro.

Passados quase 18 anos surgiu o:

GOLO 3000 (Época de 1983/84: Sporting-3ºlugar): Golo marcado pelo extremo esquerdo Paulo Futre, no dia 20 de Novembro de 1983, no Estádio José Alvalade, em jogo da 8ª jornada do campeonato, no qual o Sporting venceu o Portimonense por 3-0. O golo 3000 foi o 2º do Sporting, apontado aos 45 minutos da 1ª parte.

Passados pouco mais de 16 anos surgiu o:

GOLO 4000 (Época de 1999/2000: Sporting campeão): Golo marcado pelo extremo direito belga Mbo Mpenza, no dia 22 de Janeiro de 2000, no Estádio José Alvalade, em jogo da 18ª jornada do campeonato, no qual o Sporting venceu o Santa Clara por 4-1. O golo 4000 foi o 3º da partida, apontado aos 37 minutos da 1ª parte.

A pergunta que todos fazem agora é a seguinte: Para quando o golo 5000? Obviamente, não se consegue prever uma época e, muito menos, uma data, ainda que aproximada, para tal acontecimento. Mas, tendo em conta as diferenças de anos entre os golos anteriores, podemos estimar, entre os golos 4000 e 5000, uma diferença de 16 ou 17 anos, isto é, o golo 5000 poderá ser marcado no ano 2016 ou 2017. Portanto, provavelmente, ainda teremos de esperar mais 7 ou 8 anos.

Fidalgo

Fraguito

Eurico

Bastos

Barão

Ademar

Inácio

Marinho

Manoel

Manuel Fernandes

Jordão

domingo, 20 de setembro de 2009

Equipa do Sporting 82/83


Equipa leonina em digressão pela América. Imagem cedida por João Caetano do blog http://supersporting.pt.vu/ , nesta imagem podemos ver algumas estrelas mas há outros que não reconheço, ajude na constituição.

sábado, 19 de setembro de 2009

Hilário - O recordista leonino de jogos na categoria sénior

O grande defesa esquerdo do Sporting e da Selecção Nacional da década de 60, Hilário da Conceição, que representou os "leões" durante 15 temporadas, entre 1959 e 1973, foi o jogador leonino que mais vezes envergou a camisola do clube de Alvalade na categoria sénior.
Com efeito, desde que ingressou no Sporting, no início da época de 1958/59, até se despedir dos "leões", no final da temporada de 1972/73, Hilário efectuou, no conjunto de jogos oficiais e particulares, um total de 629 partidas!
Para além das inúmeras vitórias alcançadas, dos vários troféus conquistados e dos muitos momentos de alegria vividos, quer ao serviço do Sporting, quer da Selecção Nacional, Hilário viveu também um momento de grande infortúnio e infelicidade na sua carreira, quando, devido a uma grave lesão sofrida (dupla fractura da tíbia e do perónio da perna direita) nas vésperas da final da Taça das Taças, não pôde dar o seu contributo à equipa nos 2 jogos decisivos da competição.
Após a brilhante conquista da Taça das Taças, a sua equipa fez questão de lhe prestar homenagem, deslocando-se ao Hospital para lhe mostrar o troféu, vendo-se, na foto seguinte, o momento em que Hilário beija, com emoção, a Taça, sob o olhar de Pedro Gomes e Fernando Mendes.
Hilário disputou o seu último jogo de "leão ao peito" na final da Taça de Portugal da época de 1972/73, que o Sporting conquistou, ao vencer o Vitória Futebol Clube (Setúbal), por 3-2. Na foto seguinte, podemos observar precisamente esse momento de consagração na tribuna de honra do Estádio Nacional, onde Hilário ergue o troféu na presença do seu capitão, Vítor Damas, e de José Mendes (capitão sadino), despedindo-se, assim, em beleza dos relvados e encerrando uma brilhante carreira de futebolista ímpar, de facto, um dos melhores de sempre, na sua posição, da História do Sporting e do futebol português.

Ainda a respeito de Hilário, convidamos os visitantes do Armazém Leonino a re(lerem) uma postagem do Nuno Ramos, de 27 de Abril de 2009, na qual se encontram registados mais alguns dados relativos à carreira do excelente defesa esquerdo sportinguista.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A conquista do Troféu Teresa Herrera pelo Sporting em 1961

O Sporting foi o primeiro clube português a conquistar o prestigiado e consagrado Troféu Teresa Herrera, cujo torneio de Verão se realiza na cidade espanhola da Corunha, desde 1946.
Com efeito, a 29 de Junho de 1961, em plena época de defeso, o Sporting, então treinado pelo brasileiro Otto Glória, venceu, por 3-2, o Stade de Reims, uma das melhores equipas francesas daquele tempo, recheada de internacionais, a qual, nomeadamente, havia sido finalista vencida da Taça dos Campeões Europeus, em 1956 e 1959, diante do Real Madrid.
Assim, a conquista da 16ª edição daquela prestigiada competição, de facto, um dos mais importantes torneios de Verão da Europa, foi, à época, considerado um triunfo histórico do Sporting e do futebol português.
A este propósito, o inesquecível e saudoso chefe de redacção do jornal "A Bola", Vítor Santos, enviado-especial à Corunha, escreveu o seguinte título na 1ª página de "A Bola": "Sporting jogou e lutou, mas a taça merecia tudo.". Numa das páginas interiores do jornal, Vítor Santos voltou a escrever o seguinte título: "Em vez de champanhe, a taça foi regada com suor".
Na verdade, ao intervalo, o Sporting vencia o Stade de Reims por 3-0, mas, na 2ª parte, assistiu-se à forte reacção da equipa francesa que marcou 2 golos de rajada, tendo o Sporting que lutar e sofrer até final para conservar a magra vantagem e conquistar, assim, o tão prestigiado Troféu Teresa Herrera.
Para a história, aqui fica a constituição da equipa do Sporting que derrotou, no Verão de 1961, a forte equipa francesa do Stade de Reims:
Carvalho; Mário Lino, Ferreira Pinto, Morato, Lúcio e Hilário; Hugo, Fernando, Diego e Faustino; Seminário. Na 2ª parte, aos 68 m, Fernando Mendes entrou para o lugar de Morato e, aos 84 m, Geo entrou para o lugar de Faustino.
Os golos dos "leões" foram marcados, todos na 1ª parte, por Lúcio (7 m), Hugo (10 m) e Seminário (38 m).
Na foto que apresentamos em cima, podemos observar a festa e a consagração dos jogadores e restante comitiva leonina, exibindo orgulhosamente o bonito e imponente Troféu Teresa Herrera.
Depois do Sporting, mais 3 clubes portugueses (Vitória Futebol Clube, Benfica e F.C. Porto) inscreveram o seu nome no quadro de honra de vencedores deste importante troféu.

Sporting: equipa de 89/90


Ajude na elaboração desta equipa

Imagem cedida pelo Amigo João Caetano do Blogue Super Sporting

Plantel do Sporting 83/84


Imagem gentilmente cedida pelo amigo João Caetano do Blogue: Super Sporting

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Cadete

Jorge Paulo Cadete Santos Reis, Nasceu em Moçambique (Pemba), no dia, 27 de Agosto de 1968, é um antigo jogador do Sporting, jogava na posição de avançado.

Cadete começou a sua carreira na Associação Academica de Santarém na época de 1983-1984 com 15 anos de idade, marcando uns espantosos 43 golos em apenas 18 jogos. Despertou de imediato o interesse dos clubes grandes em Portugal. O Sporting ganhou a corrida pelo passe do jogador e na época de 1984-1985 passou dos iniciados para a equipa de juniores na época de 1986-1987.

Passou para a equipa principal do Sporting na época de 1987-1988 fazendo seis partidas. Foi emprestado ao Vitória de Setúbal na época seguinte tendo marcado 10 golos. Rapidamente voltou ao Sporting na época de 1989-1990, onde jogou até á época de 1995-1996, onde se tornou um dos mais emblemáticos jogadores do clube. Apesar do talento apenas conseguiu um título, a Taça de Portugal na época de 1995, onde uma vitória por 2-0 frente ao Marítimo deu-lhe o título. Foi o melhor marcador co campeonato na época de 1992-1993 com 18 golos. Marcou 70 golos ao serviço do Sporting em mais de 180 jogos oficiais.

A vida de Cadete no Sporting ficou mais instável, onde fez apenas duas partidas pelo clube, acabando por se tranferir para o Brescia Calcio em Novembro de 1994. Manteve-se no clube italiano por um ano, regressando ao Sporting na época de 1995-1996, mas o seu futuro tinha muito mais para lhe dar.

Em Abril de 1996, e após uma tranferência longa, Cadete rescidiu contrato com o Sporting e assinou pelo Celtic, onde rapidamente ganhou o estatuto de estrela. A sua estreia deu-se contra o Aberdeen em Celtic Park, onde Cadete saltou do banco e marcou o último golo da vitória por 5-0.

A tranferência de Cadete tornou-se polémica. Apesar de ter sido inscrito dentro do prazo legal, a Associação de Futebol da Escócia atrasou o seu processo de registo antes da partida da Taça da Escócia frente ao Rangers em Ibrox. Seguiu-se uma queixa do presidente do Celtic Fergus McCann, e o responsável da Associação de Futebol da Escócia Jim Farry foi afastado das suas funções ao ser considerado culpado por tentar deliberadamente atrasar o processo do jogador.

Jogou no Celta de Vigo na época de 1997-1998, regressando ao Benfica na temporada de 1998-1999 juntamente com o seu colega atacante do Celtic Pierre van Hooijdonk. Após essa temporada em Portugal, regressou a Inglaterra para representar o Bradford City na temporada de 1999-2000. Fez a sua estreia numa partida frente ao Aston Villa que estava empatada 1-1. Não tendo conseguido marcar um único golo em sete partidas pelo clube, regressa a Lisboa para representar o Benfica no final da época. Foi a custo zero, sendo empretado ao Estrela da Amadora para começar a época de 2000-2001.

Fez 33 jogos pela Seleção Portuguesa de Futebol, marcando 5 golos. A sua estreia foi em 29 de Agosto de 1990 num amigável frente á Alemanha que acabou num empate 0-0. Integrou a equipa que disputou o Campeonato Europeu de Futebol de 1996, chefiado por António Oliveira, acabando o último jogo da fase de grupos no banco. Muitos atribuiram-lhe a culpa do desaire nos quartos-de-final frente à República Checa, na derrota por 1-0. O seu último encontro foi na derrota por 3-0 frente á Inglaterra, em 22 de Abril de 1998, num particular.

Luisinho

Ivkovic

Supertaça: Sporting 1 - Porto 0

Sporting 2000


Sporting 61/62 - Campeões


Da esquerda para a direita: Fernando Mendes, Figueiredo, Morais, Hilário, Lino, Diego, Pérides, Hugo Sarmento, Geo, Libânio e Lúcio.

Sá Pinto