sábado, 29 de janeiro de 2011

VÍDEO: Sporting 2 - Benfica 1 - Taça de Portugal (época 1983/84)


5.ª eliminatória da Taça de portugal (1983/84)


Sporting 2 - Benfica 1

Estádio José Alvalade - 29 de Janeiro de 1984

Arbitrado por Alder Dante (Santarém)

SPORTING: Béla Katzirz (GR), Gabriel, Venâncio( saiu aos 50 min.)Zézinho, Mário Jorge, Virgílio, Kostov, Oliveira, Romeu (saiu aos 73 min.), Manuel Fernandes (Cap.) e Jordão.

Treinador: Jozef Venglos
Substituições: Lito (entrou aos 50 min.) e Carlos Xavier (entrou aos 73 min.)

GOLOS: Jordão (58 min.) e Manuel Fernandes (78 min.)

Nota: Deixamos aqui o link do jornal A Bola que retrata toda a história deste jogo; Sporting 2 - Benfica 1: jornal A BOLA - 30 de Janeiro de 1984.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Um exemplo de dedicação à causa sportinguista: A Família Mesquita.

Aquilo que o Sporting hoje representa no panorama desportivo nacional e internacional(como clube e instituição de elevada grandeza e prestígio), deve-o, não apenas à glória desportiva alcançada (aqui e além fronteiras), fruto das muitas vitórias e dos inúmeros títulos (nacionais e internacionais) conquistados, em várias modalidades, ao longo de mais de 100 anos de uma História riquíssima, mas principalmente ao esforço, dedicação e devoção de milhares de sportinguistas de várias gerações, constituídos por dirigentes, treinadores, atletas, funcionários, sócios e adeptos, sem os quais o Sporting não seria aquilo que é hoje: a maior potência desportiva nacional e uma das maiores do Mundo.
O Armazém Leonino traz hoje ao conhecimento dos seus amigos sportinguistas, uma reportagem, publicada no Jornal Sporting, datada de 17 de Junho de 1987, a qual é, na verdade, demonstrativa da dedicação, empenho e entusiasmo postos ao serviço do Sporting, por uma família composta por antigos atletas leoninos e grandes sportinguistas.
Estamos a referir-nos, concretamente, à modalidade de basquetebol e à Família Mesquita, constituída pelo pai, José Manuel Mesquita, e seus 4 filhos, Frederico Mesquita (o irmão mais velho), Álvaro e José Mesquita (irmãos gémeos) e Pedro Mesquita (o irmão mais novo). Todos eles foram atletas e, mais tarde, também técnicos de basquetebol nas camadas jovens do Sporting. Todos eles serviram apaixonadamente o seu clube de sempre e ajudaram a transmitir às gerações seguintes o ideal clubista e o lema leonino: esforço, dedicação, devoção e glória!
A reportagem publicada naquela edição de 1987 do Jornal Sporting incidiu precisamente nas prestações tidas e nas classificações obtidas, em vários torneios de prestígio (nacionais e um internacional), pela equipa de juvenis dos "leões", então treinada por um dos irmãos Mesquita, mais especificamente, o Álvaro Mesquita.
Convidamos, agora, todos os nossos amigos sportinguistas a lerem esta reportagem, aproveitando para agradecer, uma vez mais, ao nosso grande amigo e antigo basquetebolista leonino das décadas de 60 e 70, Frederico Mesquita, que nos facultou amavelmente esta página do Jornal Sporting.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Fantástica caricatura de José Travassos da autoria de Miguel Salazar.

Uma vez mais, o nosso grande amigo e brilhante caricaturista Miguel Salazar, cujos maravilhosos trabalhos podem ser visitados no seu excelente blogue (http://miguelsalazar.blogs.sapo.pt/), ofereceu-nos uma fantástica caricatura da sua autoria.
O atleta retratado é o inconfundível e extraordinário futebolista José Travassos, um dos maiores jogadores portugueses de todos os tempos e um dos grandes símbolos da História do futebol leonino.

Relativamente a Travassos, que ficou internacionalmente conhecido por "Zé da Europa" (primeiro futebolista português a integrar, em 1955, uma Selecção da Europa), o Armazém Leonino dedicou já vários artigos, os quais poderão ser lidos no marcador "Travassos".
Contudo, nunca é demais afirmar que Travassos foi, antes do aparecimento de Eusébio, o jogador português mais prestigiado e conhecido além-fronteiras e o primeiro grande futebolista português de classe mundial. Portanto, nunca é demais homenagear este fantástico jogador que prestigiou, não só o Sporting (que representou durante 13 épocas), mas também o futebol português.
Aqui deixamos o nosso profundo agradecimento e reconhecimento ao amigo Miguel Salazar por mais esta generosa e amável oferta. Estamos certos de que esta caricatura vai fazer as delícias de todos os nossos visitantes e amigos sportinguistas, pois trata-se, na verdade, de uma autêntica obra-prima! Um grande abraço de estima e amizade do Alexandre e do Nuno.

Sporting 1 - Malines 0: Relato da Rádio (Taça Uefa 1990/91)


1.ª eliminatória da Taça UEFA 1990/91 (1ª mão)


SPORTING 1 - MALINES 0


Estádio José Alvalade (Lisboa) - 18 de Setembro de 1990

Arbitrado por: Kenneth Hope (Escócia)

SPORTING: Tomislav Ivkovic (GR), Carlos Xavier, Luisinho, Venâncio, Leal, Oceano (Cap.), Douglas, Litos, Careca (saiu aos 83 min.) e Fernando Gomes.

Treinador: Marinho Peres

Substituições: Filipe (entrou aos 83 min.)

Golo: Cadete (aos 37 min.)

Nota: Vídeo desenvolvido pelo Armazém Leonino. Este relato foi gentilmente cedido pelo amigo "João Dinis", desde já deixamos um agradecimento especial, obrigado João!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Sporting 3 - Marítimo 1: Jornal "Golo" de1980

 Primeira página - 10 a 17 de Setembro de 1980

 Destaque da semana que antecedeu

 Sporting 3 - Marítimo 1

 Tabela classificativa - 3ª jornada - época 1980/81

Antevisão da 4ª jornada - Vt. Guimarães - Sporting

Vítor Damas depois de Espanha - Entrevista ao Jornal "Golo" em 1980

Entrevista de Vítor Damas ao Jornal Golo de 10 a 17 de Setembro 1980. Esta entrevista foi concedida uma semana antes de Damas realizar pela primeira vez um jogo contra o seu clube de coração, e ao serviço do Vitória de Guimarães.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Carvalho (cromos 61/62)

Fernando Mendes (cromos 61/62)

Geo (cromos 61/62)

Hilário (cromos 61/62)

José Carlos (cromos 61/62)

Lúcio (cromos 61/62)

Mário Lino (cromos 61/62)

José Monteiro (cromos 61/62)

João Morais (cromos 61/62)

Osvaldo Silva (cromos 61/62)

Figueiredo (cromos 61/62)

Estes cromos foram retirados do blogue amigo: Cadernetas e Cromos

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Equipa do Sporting 1958-59

Em cima (esq/dir): Mário Lino, Hilário, Morato, Fernando Mendes, David Julius e Octávio de Sá (gr).

Em baixo: Hugo,Vasques, Vadinho, Travassos e Morais.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Recordações de uma goleada: Sporting - 8 / Sp. Braga - 1 (1984-85).


A época de 1984/85 foi a última temporada em que Manuel Fernandes, Oliveira e Jordão jogaram juntos na equipa leonina. Com efeito, ainda antes de terminar a temporada, já no decorrer da 2ª volta do campeonato, mais concretamente, em Março de 1985, aquele "trio maravilha" desfez-se com a saída de Oliveira do Sporting.
Terminava assim uma ligação de pouco mais de 3 épocas e meia de "leão ao peito", período de tempo durante o qual os sportinguistas tiveram o privilégio e o prazer de assistir a grandes exibições de um jogador fantástico, que tinha tanto de genial como de polémico e controverso. Oliveira foi também um jogador perseguido pelas lesões, as quais, a partir de determinada altura, sobretudo na temporada de 1984/85, teimaram em não o largar, não deixando Oliveira render em campo aquilo que ainda estava ao seu alcance.
Saturado e revoltado por sucessivas paragens por lesão e tendo consciência de que já não conseguiria ter o rendimento em campo compatível com aquilo que se esperaria de um jogador da sua categoria, Oliveira abandonou o Sporting, ingressando no Marítimo, onde iria acumular as funções de jogador-treinador até ao final dessa temporada.
Um dos últimos jogos que presenciámos ao vivo em Alvalade com aquele "trio maravilha" em campo foi um célebre Sporting-Sp. Braga (18 de Novembro de 1984; 10ª jornada) que terminou com uma goleada histórica do Sporting, por 8-1. Neste jogo, aquela fantástica tripla atacante terá provavelmente efectuado, na minha opinião, a sua melhor exibição conjunta de sempre, sobretudo na 2ª parte, em que o Sporting obteve 6 golos nos últimos 18 minutos da partida (média de 1 golo em cada 3 minutos!).
Recordemos, então, a equipa leonina que alcançou uma das suas maiores goleadas a contar para o Campeonato Nacional, em cujo jogo Manuel Fenandes obteve um "hat-trick" (72, 81 e 86 minutos), Oliveira bisou (39 e 76 minutos), tendo os restantes 3 golos sido marcados por Jordão (84 minutos), Eldon (89 minutos) e Mário Jorge (5 minutos).
Damas; Carlos Xavier, Zezinho, Venâncio e Mário Jorge; Litos, Oceano, Virgílio e Sousa; Manuel Fernandes (cap.) e Jordão. Oliveira rendeu Litos aos 34 minutos e Eldon entrou para o lugar de Sousa aos 74 minutos.
Apresentamos, a seguir, uma das equipas-tipo do Sporting dessa época, constituída, na verdade, por grandes jogadores. A equipa leonina, orientada pelo técnico galês John Toshack, viria a terminar o campeonato em 2º lugar (com apenas duas derrotas), a 8 pontos do F.C. Porto, com quem o Sporting empatou duas vezes (0-0). As únicas derrotas sofridas pelos "leões" foram diante do Penafiel e do Benfica. De facto, só um Super-F.C.Porto impediu o Sporting de ser campeão nacional nessa temporada.

Em cima (da esquerda para a direita): Zezinho, Jordão, Venâncio, Oceano, Oliveira e Damas.
Em baixo (mesma ordem): Mário Jorge, Sousa, Manuel Fernandes (cap.), Jaime Pacheco e Carlos Xavier.

Digam lá meus amigos, se este onze leonino não era realmente fabuloso, e se não foi, de facto, um dos melhores de sempre da História do Sporting. Esta equipa, hoje em dia, seria de certeza campeã nacional. Ai que saudades, ai, ai...!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A beleza da caricatura e da poesia numa equipa leonina!

Como já é certamente do conhecimento de todos os amigos sportinguistas que visitam com frequência o Armazém Leonino, somos grandes apaixonados por caricaturas, com especial predilecção por todas as que foram desenhadas pelo Mestre incontestável da caricatura desportiva em Portugal, o saudoso e inesquecível Francisco Zambujal.
Por isso, sempre que surge a oportunidade de publicar uma nova caricatura, o Armazém Leonino não hesita em fazê-lo, com enorme gosto e prazer. Porém, hoje não publicamos uma caricatura de Francisco Zambujal, mas sim de um outro artista da década de 50, de seu nome Natalino.
Com efeito, num dos seus números semanais relativo ao ano de 1951, a popular revista humorística "Cara Alegre" trazia uma separata no seu interior de homenagem à equipa leonina campeã nacional da época de 1950/51.
Esta separata tinha a particularidade de apresentar as caricaturas dos 11 futebolistas leoninos campeões daquela temporada. Para além disso, cada uma das 11 caricaturas era acompanhada por 4 versos que caracterizavam o respectivo jogador.
Trata-se, na verdade, de uma separata muito bonita, a qual constituiu uma forma original da revista "Cara Alegre" prestar a sua homenagem àquela famosa equipa do Sporting que conquistou o Campeonato Nacional na temporada de 1950/51.
Apresentamos, a seguir, as caricaturas dos 11 "leões" campeões, cada uma delas acompanhada, como atrás referimos, de uma curiosa e engraçada quadra.

Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Veríssimo, Caldeira,
(Carlos) Gomes (g.r.), Passos, Juvenal, Juca, Jesus Correia, Travassos,
Vasques, Albano e (João) Martins.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Equipa do Sporting (2010/11)

Esta foi a equipa do Sporting C.P. que defrontou neste passado sábado (8/1/2010) o Sporting de Braga para a 15ª jornada da Liga Zon/Sagres. Imagens e Relato dos golos aqui Sporting 2 - Sp. Braga 1.

Equipa de Juniores do Sporting 1969/70 (recorte de jornal)


Imagem cedida gentilmente pelo ex-atleta Vitor Miranda.

Vitor Miranda dixit...
A equipa de juniores do Sporting na época de 1969/70 teve uma única derrota em toda a época. Ganhou o Torneio de Juniores de Roubaix no norte de França em competição com clubes fortes, dos quais me recordo: Ajax, Leeds United e o Lille. (posso estar a errar mas se isso for importante eu procuro nas minhas velharias e encontro). Esta é a foto que retrata a equipa que ganhou a final (em papel de jornal).

Compõem a equipa:
Em cima: Vítor Manuel (G.R.) Capêto, João Laranjeira, Dias, Vieira e Vitorino Bastos.
Em baixo: Vítor Miranda (eu), Góis, João Machado, Celestino e Eduardo Jorge

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Os 5 futebolistas leoninos com estreia mais "precoce" no Campeonato Nacional.

Na História do Sporting, houve vários futebolistas que se estrearam com menos de 18 anos de idade no Campeonato Nacional de futebol da 1ª Divisão, sendo considerados, na altura, jovens promessas, em relação às quais se vaticinava um futuro risonho e, consequentemente, se augurava uma carreira auspiciosa.
O futuro veio confirmar, de facto, as potencialidades futebolísticas da maior parte desses jovens jogadores, embora apenas alguns deles tenham construído uma carreira de nível internacional. Com efeito, apesar das qualidades técnicas de outros jogadores, estes não conseguiram atingir maior projecção, acabando por fazer uma carreira razoável e bonita apenas no futebol português.
Decidimos escolher, de entre essas jovens promessas que se estrearam com menos de 18 anos, de "leão ao peito", na "prova-rainha" do futebol português, os 5 mais "precoces" de todos. Indicamos, a seguir, esse "top-five", por ordem de maior precocidade nessa estreia com a camisola do Sporting:

- SANTAMARIA (época de 1998/99): estreou-se com 16 anos e 346 dias, a 23 de Janeiro de 1999, no jogo Desportivo de Chaves - 2 / Sporting - 2; nesta época, Santamaria efectuou 2 jogos; não passou de promessa; era treinador do Sporting o ex-jugoslavo Mirko Jozic.

- CANEIRA (época de 1995/96): estreou-se com 17 anos e 1 dia, a 10 de Fevereiro de 1996, no jogo Sporting - 5 / Farense - 0; nesta temporada, Caneira realizou 1 jogo; jogador de boa craveira futebolística que construiu uma bonita carreira; Carlos Queiroz era o treinador do Sporting.
- FIGO (época de 1989/90): estreou-se com 17 anos e 147 dias, a 1 de Abril de 1990, no jogo Sporting - 1 / Marítimo - 0; nesta época, Figo efectuou 3 jogos; jogador de classe mundial que teve uma carreira fantástica; Raúl Águas era o técnico do Sporting.
- FUTRE (época de 1983/84): estreou-se com 17 anos e 187 dias, a 27 de Agosto de 1983, no jogo Sporting - 5 / Penafiel - 1; nesta temporada, Futre realizou 28 jogos (21 para o campeonato); jogador de classe mundial que poderia ter tido uma carreira ainda mais brilhante; era treinador do Sporting o ex-checoslovaco Jozef Venglos.
- SIMÃO (época de 1996/97): estreou-se com 17 anos e 196 dias, a 16 de Maio de 1997, no jogo Salgueiros - 0 / Sporting - 3; nesta época, Simão efectuou apenas 2 jogos, tendo marcado um golo logo na estreia, 1 minuto após ter entrado em campo (78 minutos da 2ª parte); jogador de categoria internacional ainda em actividade; Octávio Machado era o técnico do Sporting.

Como atrás referimos, houve outros futebolistas que ainda não tinham completado 18 anos quando se estrearam, com a camisola do Sporting, no Campeonato Nacional, sendo, por exemplo, os casos de Freire (carreira razoável no futebol português), Litos (bonita carreira no futebol português a qual poderia ter sido ainda melhor), Peixe (carreira razoável no futebol português), Ricardo Quaresma (jogador de craveira internacional ainda em actividade) e Cristiano Ronaldo (jogador de classe mundial ainda em actividade que poderá vir a construir a carreira mais fantástica de todas).
Porventura, haverá ainda mais alguns jogadores nesta situação, mas desconhecemos os seus nomes. Caso os amigos sportinguistas do Armazém Leonino se lembrem de mais algum ou alguns jogadores leoninos que se tenham estreado, com menos de 18 anos, na 1ª Divisão Nacional, agradecemos a informação.
Um abraço de amizade do Alexandre e do Nuno. Saudações leoninas!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Final da Taça de Portugal 1971 - Sporting 4 - Benfica 1


Sporting 4 - Benfica 1


Estádio Nacional (Jamor) - 27 de Junho de 1971
Árbitro: Francisco Lobo (Setúbal)

SPORTING: Damas, Pedro Gomes, Laranjeira, José Carlos (saiu aos 68 min.), Manaca, Vítor Gonçalves (saiu aos 57 min.), Nélson, Fernando Peres, Chico Faria, Marinho, e Dinis.

Jogaram ainda: Tomé (entrou aos 57 min) e Francisco Caló (entrou aos 68 min.).
Treinador: Fernando Vaz

BENFICA: José Henrique, Malta da Silva, Humberto Coelho, Zeca, Adolfo, Jaime Graça, Matine, Simões, Nené, Artur Jorge, e Eusébio.

Jogaram ainda: Diamantino, e Torres.
Treinador: Jimmy Hagan

Marcadores: Dinis (5 min.), Nélson (23 min.) e Chico Faria (33 e 77 min.). Eusébio marcou o tento de honra do Benfica.

Nota: o Sporting conquistava nesta época a 7ª Taça de Portugal.

Vídeo retirado do site: Portal Sporting Memória

Sporting - Caderneta "Clubes da 1ª e 2ª Divisão, 1963-64"


CAPA - "Clubes da 1ª e 2ª Divisão, 1963-64".

Sporting Clube de Portugal em 1963-64

Imagem retirada do blogue amigo: Cadernetas e Cromos

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Sporting - Rebuçados "Azes do Foot-ball" 1930

Cromos relativos à caderneta "Rebuçados - Azes do Foot-Ball 1930", edição da Fábrica de Chocolates Regina. Esta antiga e belíssima imagem foi retirada do blogue Cromos de Futebol. O onze que se encontra na imagem é o seguinte (de cima para baixo e a contar pela esquerda): Cipriano dos Santos (gr), Martinho de Oliveira, Jorge Vieira, Matias, Serra e Moura, Gonçalves Varela, Fernando Ferreira, Abelhinha,  Rogério Sousa, Abrantes Mendes e José Domingos. No entanto, devemos referir que esta foi uma época desastrosa para o Sporting. No Campeonato de Lisboa não fomos além do 3º lugar, sendo o Belenenses o Campeão, na outra prova designada de "Campeonato de Portugal" (actualmente Taça de Portugal), fomos eliminados nos oitavos-de-final.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Académico de Coimbra 1 - Sporting 2: Jornal "Golo" de:31 Dezembro de 1980 a 6 de Janeiro 1981

Reportagem do Jornal "Golo" referente ao jogo entre: Académico de Coimbra - Sporting, da 15.ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão (1980-81). Este encontro realizou-se no Estádio Municipal de Coimbra, no dia 27 de Dezembro de 1980. De realçar que, a actual Académica de Coimbra na época designava-se por Académico de Coimbra. Como bónus, publicamos também o jogo Amora- Belenenses.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Joaquim Pacheco - Uma descoberta leonina em Macau.

Foto de Joaquim Pacheco tirada no Estádio Nacional
(separata da revista "Mundo de Aventuras").

Joaquim Pedro Pacheco, nascido em Macau, a 30 de Março de 1926, foi um dos bons jogadores do Sporting da década de 50, tendo feito parte de grandes equipas leoninas daquelas épocas, ao serviço das quais se sagrou, por 4 vezes, campeão nacional.
Joaquim Pacheco chegou a Lisboa em finais de Abril de 1950, proveniente de Macau de onde era natural, tendo ingressado, com 24 anos, no Sporting, no início da época de 1950/51. Até então, Pacheco jogara na equipa da Polícia de Macau e era já considerado um dos melhores futebolistas daquele antigo território português, vindo rotulado com boas credenciais, sendo um jogador polivalente que actuava com igual eficácia em qualquer posição, desde defesa a avançado ou extremo, passando por interior ou médio.
Joaquim Pacheco estreou-se com a camisola leonina a 17 de Setembro de 1950, no Estádio Nacional, frente ao Benfica, em jogo a contar para a 1ª jornada do campeonato nacional, tendo o Sporting vencido o seu eterno rival, por 3-1. Neste jogo de estreia, Pacheco actuou como avançado, posição em jogou mais vezes nessa primeira temporada.
Contudo, nas épocas seguintes, Pacheco acabaria por se fixar na posição de defesa esquerdo, lugar onde se viria a destacar e a afirmar como titular da defesa leonina, a partir da época de 1952/53, jogando ao lado de Caldeira, Passos e, mais tarde, Galaz.
Durante as 8 épocas em que jogou de "leão ao peito", mais concretamente, entre 1950/51 e 1958/59, com uma interrupção verificada na época de 1953/54, em relação à qual desconhecemos o motivo da ausência de Pacheco (empréstimo?, lesão?), o defesa esquerdo leonino realizou um total de 156 jogos e marcou 8 golos. Naquelas 8 temporadas, Pacheco foi 4 vezes campeão nacional, nas épocas de 1950/51, 1951/52, 1952/53 e 1957/58, tendo sido, ainda, duas vezes finalista vencido da Taça de Portugal, ambas diante do Benfica (em 1951/52, derrota por 5-4; em 1954/55, derrota por 2-1).
Joaquim Pacheco mereceu ainda a honra de ser chamado uma vez a representar a Selecção Nacional, tendo essa única internacionalização ocorrido a 21 de Dezembro de 1957, em Milão, em jogo de apuramento para o Campeonato do Mundo, no qual Portugal foi derrotado pela Itália, por 3-0.
No final da temporada de 1958/59, já com 33 anos, Joaquim Pacheco abandona o Sporting, terminando, assim, uma ligação de 8 anos ao clube de Alvalade, ao longo da qual soube construir uma bonita carreira e afirmar-se como um excelente defesa esquerdo.