quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Um exemplo de dedicação à causa sportinguista: A Família Mesquita.

Aquilo que o Sporting hoje representa no panorama desportivo nacional e internacional(como clube e instituição de elevada grandeza e prestígio), deve-o, não apenas à glória desportiva alcançada (aqui e além fronteiras), fruto das muitas vitórias e dos inúmeros títulos (nacionais e internacionais) conquistados, em várias modalidades, ao longo de mais de 100 anos de uma História riquíssima, mas principalmente ao esforço, dedicação e devoção de milhares de sportinguistas de várias gerações, constituídos por dirigentes, treinadores, atletas, funcionários, sócios e adeptos, sem os quais o Sporting não seria aquilo que é hoje: a maior potência desportiva nacional e uma das maiores do Mundo.
O Armazém Leonino traz hoje ao conhecimento dos seus amigos sportinguistas, uma reportagem, publicada no Jornal Sporting, datada de 17 de Junho de 1987, a qual é, na verdade, demonstrativa da dedicação, empenho e entusiasmo postos ao serviço do Sporting, por uma família composta por antigos atletas leoninos e grandes sportinguistas.
Estamos a referir-nos, concretamente, à modalidade de basquetebol e à Família Mesquita, constituída pelo pai, José Manuel Mesquita, e seus 4 filhos, Frederico Mesquita (o irmão mais velho), Álvaro e José Mesquita (irmãos gémeos) e Pedro Mesquita (o irmão mais novo). Todos eles foram atletas e, mais tarde, também técnicos de basquetebol nas camadas jovens do Sporting. Todos eles serviram apaixonadamente o seu clube de sempre e ajudaram a transmitir às gerações seguintes o ideal clubista e o lema leonino: esforço, dedicação, devoção e glória!
A reportagem publicada naquela edição de 1987 do Jornal Sporting incidiu precisamente nas prestações tidas e nas classificações obtidas, em vários torneios de prestígio (nacionais e um internacional), pela equipa de juvenis dos "leões", então treinada por um dos irmãos Mesquita, mais especificamente, o Álvaro Mesquita.
Convidamos, agora, todos os nossos amigos sportinguistas a lerem esta reportagem, aproveitando para agradecer, uma vez mais, ao nosso grande amigo e antigo basquetebolista leonino das décadas de 60 e 70, Frederico Mesquita, que nos facultou amavelmente esta página do Jornal Sporting.

3 comentários:

Leão de Albergaria disse...

E que consideração é que o Sporting dos nossos dias tem por estas pessoas que no passado tanto se dedicaram ao clube?...Pessoa das minhas relações que nos anos 60,70 e 80, juntamente com um filho, prestava graciosamente todo o apoio logístico às nossas equipas de modalidades amadoras que se deslocavam ao norte do país, transportando-as inclusivamente nos seus automóveis a partir da estação ferroviária de Gaia, há cerca de 3 ou 4 anos pretendeu visitar a Academia de Alcochete. Barraram-lhe a entrada à porta (é um senhor de oitenta e tal anos) e não houve argumento que lhe valesse...Mais tarde escreveu para a secretaria do clube a solicitar autorização para o mesmo fim. Nem lhe responderam...É assim que o Sporting dos nossos dias trata as pessoas que o engrandeceram...Apetece dizer uns palavrões à moda do norte e mandar esta gente toda para um certo sítio que nós sabemos...

Imaginário disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Imaginário disse...

Boas,

Estou a recolher assinaturas para uma petição online com o objectivo de fazer com que o Sporting Clube de Portugal volte a ter novamente a modalidade de Basquetebol.

Gostaria de contactar um dos administradores deste blog para me puderem ajudar numas coisas. (já procurei pelo blog mas não encontro nenhum contacto).

deixo aqui o meu mail: joao_imaginario@live.com.pt

Obrigado desde já,
João Imaginário