terça-feira, 10 de novembro de 2009

Virgílio

Virgílio Manuel Bagulho Lopes, nascido a 21 de Outubro de 1957, em Loures, foi um dos bons jogadores que passaram pelo Sporting na década de 80, tendo-se destacado pela sua polivalência em campo, sentido táctico e espírito colectivo.
Com efeito, ao longo da sua carreira em Alvalade, Virgílio percorreu todas as posições na defesa do Sporting, tendo jogado a lateral, a central e a líbero e, em todas elas, com igual eficácia. Inclusivamente, chegou a actuar também nas posições de médio centro e trinco, demonstrando toda a sua versatilidade e capacidade de adaptação a várias posições em campo. Para além destas características, Virgílio possuía igualmente uma boa técnica individual.
Vírgílio jogou no Sporting durante 8 épocas (1976/77, 1977/78 e entre 1981/82 e 1987/88) com uma interrupção, pelo meio, de 3 temporadas, nas quais esteve ao serviço do Famalicão. Nessas 8 temporadas, Virgílio conquistou um total de 5 troféus pelos "leões", sendo Campeão Nacional na época de 1981/82 e vencendo duas Taças de Portugal (1977/78 e 1981/82) e duas Supertaças "Cândido de Oliveira" (1982/83 e 1987/88).
Virgílio estreou-se com a camisola do Sporting, a 29 de Maio de 1977, precisamente na 30ª e última jornada do Campeonato Nacional da época de 1976/77, frente ao Belenenses, em Alvalade, jogo que o Sporting venceu por 4-0, tendo Virgílio entrado já na parte final da 2ª parte.
Ao longo das 8 temporadas em que jogou de "leão ao peito", Virgílio realizou um total de 200 jogos, tendo marcado 10 golos. Nas suas duas primeiras épocas em Alvalade, Virgílio jogou apenas 4 jogos, mas nas restantes 6 temporadas acabou por realizar uma média de quase 33 jogos por época, marca que comprova bem a sua presença assídua na equipa titular dos "leões" ao longo da década de 80.
Foi já durante a campanha de qualificação da Selecção Nacional para o Campeonato do Mundo do México (1986), que Virgílio viria a alcançar as suas 3 internacionalizações A por Portugal, as quais foram motivo de orgulho e de satisfação para o jogador leonino e um prémio para as boas exibições realizadas ao serviço do Sporting.
No final da época de 1987/88, Virgílio, então prestes a completar 31 anos, abandona o Sporting, deixando em todos os sportinguistas um sentimento de nostalgia e saudade, pois, na verdade, Virgílio foi sempre um jogador que honrou e dignificou a camisola que envergou, tendo-se revelado um excelente profissional, brioso, sério e dedicado ao clube que representou durante 8 temporadas.

10 comentários:

NUNO RAMOS disse...

Eu tinha uma admiração especial pelo Virgílio, era jogador de jogo, balneário, e de treinos! Nem sempre jogava mas punha o Sporting à frente de interesses pessoais. Esta geração de plástico de jogadores que se instalou no Sporting às vezes dão-me vontade de questionar, se a aposta na formação é o melhor para o clube? Durante anos queixavam-se que os clubes não apostavam na prata da casa, o Sporting tem feito esse papel como ninguém, e somos tão mal tratados por eles e pelos seus empresários... enfim!!!

José Sarmento disse...

Tens toda a razão, Nuno. Toda a razão. Onde está o amor à camisola? Onde estão agora os Manueis Fernandes do meu tempo?

Palermices disse...

vou seguir atentamente este blog, encontrei por acaso mas amo o sporting...

voltarei em breve para falar de mesinhas de cabeceira; vou tomar um cafézinho com a Dona Eutanásia e conversar com ela, trocando um sem número de palermices para passar o tempo.

Virgílio disse...

Vcs sabem lá o que é crescer sendo homónimo de um jogador do clube que veneramos... Ainda por cima qd o nome é tão invulgar, como é o caso. Foi um orgulho enorme! ;)


Claro que o Virgílio, mesmo sem essas qualidade que se lhe reconhece de forma praticamente unanime, teria que marcar a minha adolescencia e em consequência a minha vida enquanto sportinguista.


SL!

RFM disse...

Amigo NUNO
Bem verdade. Mas não há volta a dar. São os novos tempos.
A única coisa que podemos e deveremos exigir é mais Rigor profissional, mas para isso tem de mudar muito o dirigismo do Futebol e terminar com os agentes. Aqui a que reside o grande Mal.

José Sarmento disse...

Agora reparei, nasceu a 21 de Outubro... o meu filho também!

Lá está, é a tal coincidências de datas do Paulo Bento. Entrou para treinador principal em 21 de Outubro de 2005 (aniversário do meu filho) e saíu em 6 de Novembro de 2009 (meu aniversário)!!!

Que o próximo treinador do Sporting nos dê muitas alegrias, a começar já na jornada 11...

Saudações Leoninas.

degas disse...

Salvo erro, o Virgílio é hoje treinador do CAC Pontinha, clube das distritais de Lisboa.

SL

Baraka31 disse...

foi meu treinador no União Desportiva de Ponte de Frielas :D mau como as cobras lool

Lopinhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Virgilio Lopes disse...

Quem és tu Baraka31?

Um abraço

Virgilio