sábado, 30 de agosto de 2014

Recordações de um "derby" Benfica-Sporting com 36 anos (época 1978/79).


Realiza-se neste domingo, dia 31 de Agosto, no Estádio da Luz, o 1º "derby" da época, o Benfica-Sporting, a contar para a 3ª jornada do Campeonato Nacional. O confronto entre os velhos e eternos rivais lisboetas tem sido, ao longo da história dos campeonatos, um dos jogos mais ansiosamente aguardados pelos adeptos dos dois clubes de Lisboa, dada a rivalidade histórica que já vem de longa data, desde a primeira década do século XX.


De então para cá, decorridos mais de 100 anos, a paixão e a emoção vividas em torno deste "derby" permanecem intactas, gerando, ano após ano, um ambiente único e especial em seu redor. Criam-se enormes expectativas, renovam-se esperanças e ambições e traçam-se os mais variados prognósticos à volta deste eterno clássico do futebol português, de resultado sempre imprevisível, mesmo que, em determinado momento da época, uma equipa possa teoricamente estar mais forte do que a outra, o que não parece ser o caso presente.

Fantástica caricatura da autoria do "Mestre" Francisco Zambujal alusiva ao
"Benfica-Sporting", publicada na edição de sábado (18 de Novembro de 1978) do jornal A Bola.
John Mortimore (técnico inglês do Benfica), Milorad Pavic
(técnico jugoslavo do Sporting) e José Maria Pedroto (treinador do F.C. Porto).

O Armazém Leonino recorda hoje um "derby" realizado há 36 anos atrás, que se disputou a 19 de Novembro de 1978, no antigo Estádio da Luz. Na altura, esse Benfica-Sporting contava para a 10ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1978/79 e, tal como agora, o Benfica apresentava-se como favorito à vitória, que mais não fosse pelo simples facto de jogar em casa perante o seu público.
Infelizmente, para o Sporting, este jogo acabou por se tornar num autêntico "pesadelo", ficando tristemente célebre na memória e história dos "derbies" devido à goleada sofrida pela equipa leonina diante do seu rival por 5-0, resultado este construído ainda durante a 1ª parte da partida.
Com efeito, à meia hora de jogo já o Benfica vencia por 4-0 e a 5 minutos do final da 1ª parte, Alves fixaria o resultado final através da marcação de uma grande penalidade. Foram na verdade 45 minutos de "pesadelo", diria mesmo de "terror", para o Sporting, cuja equipa entrou muito mal no jogo, demasiado ansiosa e nervosa, com a defesa mal posicionada, os médios à deriva e sem sentido de entreajuda e um ataque praticamente inexistente. Nessa 1ª metade do encontro, o Sporting apresentou um futebol atabalhoado e aos repelões, sem entrosamento ou ligação entre os setores, com estes muito distanciados, descurando perigosamente a sua retaguarda.
Com o avolumar do marcador, a equipa leonina ia ficando cada vez mais fragilizada do ponto de vista anímico e com menor capacidade de reação, completamente atordoada e desorientada face às contrariedades que ia sofrendo.

Lance do 2º golo do Benfica apontado de cabeça por Néné.

Face ao resultado dilatado registado no final da 1ª parte, pode-se dizer que a 2ª parte acabou por não ter grande história, pois, por um lado, o Benfica consciente que a vitória estava mais que assegurada, abrandou o ritmo de jogo, limitando-se a gerir o resultado a seu bel prazer, por outro lado, o Sporting não querendo deixar avolumar o resultado para números ainda mais escandalosos, retificou algumas posições em campo e acautelou mais o seu setor defensivo, conseguindo, pelo menos, atenuar e limpar um pouco a péssima imagem deixada nos primeiros 45 minutos.
Resumindo e concluindo, pode-se dizer que o Benfica teve uma tarde tranquila, muito mais do que aquilo que poderia imaginar, tendo dominado por completo a partida, criando as melhores oportunidades de golo, 5 delas concretizadas e outras tantas desperdiçadas. O Sporting teve uma "tarde negra", uma tarde para esquecer, em que tudo lhe saiu mal, fruto de um total desacerto coletivo e de uma completa desinspiração das suas individualidades.


Grande penalidade convertida por Alves que fixava o resultado em 5-0.

Para a história deste "derby", recordamos a equipa leonina que, sob o comando do técnico jugoslavo Milorad Pavic, alinhou diante do Benfica num sistema tático, aparentemente ofensivo, em 4X3X3: Botelho; Artur, Bastos, Zezinho e Inácio; Cerdeira, Marinho e Aílton; Manuel Fernandes, Manoel e Keita. Aos 23 minutos, Meneses rendeu o lesionado Zezinho e aos 45 minutos foi a vez de Zandonaide substituir Aílton.
Os golos do Benfica foram apontados por Reinaldo que bisou (aos 15 e 28 minutos), Alves que também bisou (aos 30 e 40 minutos) e Néné (aos 18 minutos).

 
Uma das equipas-tipo leonina da época de 1978/79.
Em cima (da esquerda para a direita): Keita, Freire,
Laranjeira, Meneses, Barão e Botelho.
Em baixo (mesma ordem): Manoel, Inácio, Ademar, Aílton e Artur.

No que diz respeito a goleadas verificadas desde esta temporada de 1978/79 até hoje, há apenas a registar mais duas, uma a favor do Benfica (novamente 5-0, embora a contar para a Taça de Portugal, na época de 1985/86) e a outra a favor do Sporting (7-1, a contar para o Campeonato Nacional da época de 1986/87).
Dado o facto de ainda estarmos no início do campeonato, o "derby" deste fim de semana não é decisivo para nenhuma das equipas, apesar do Benfica ter 2 pontos de vantagem sobre o Sporting. Mesmo em caso de vitória dos "encarnados", e ficando o Sporting a 5 pontos de distância do seu rival, tal diferença ainda pode ser perfeitamente recuperável, com 31 jornadas por disputar. Contudo, o Sporting tem de lutar pela conquista de pontos no Estádio da Luz, sendo o empate um resultado bastante positivo, sabendo-se as dificuldades que o Sporting sempre sente quando joga no terreno do Benfica, onde já não ganha há 6 anos (desde a época de 2008/09, inclusivé) e onde só venceu em 14 ocasiões.
Para este "derby", o Sporting apresenta-se na máxima força e com todo o plantel à disposição de Marco Silva, sem jogadores lesionados ou castigados, dispondo de jogadores em qualidade e quantidade suficientes para se bater de igual para igual com o Benfica. O Sporting não deve mostrar receio de jogar para ganhar no terreno do seu adversário, pois a vitória, para além de significar a ultrapassagem ao seu rival, constituiria um excelente tónico e um fator extra de motivação para encarar o resto da temporada com otimismo e confiança.
Esperamos e desejamos que o "derby" de amanhã seja um grande espetáculo de futebol, de promoção da modalidade, que haja "fair-play" e desportivismo dentro e fora das quatro linhas e que a equipa de arbitragem esteja à altura deste grande "clássico" do futebol português, sem casos de jogo.
Pela nossa parte, estamos confiantes e otimistas! Acreditamos que o Sporting poderá vencer ou, pelo menos, conquistar um empate no Estádio da Luz. Boa sorte "leões"! Força Sporting!

2 comentários:

Rui Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Nascimento disse...

Boa Noite amigo sportinguista,

O texto tem um erro. O Sporting não ganha no Estádio da Luz desde a temporada 2005/06, altura da última vitória por 3-1, com 2 golos de Liedson e 1 de Sá Pinto, este de grande penalidade. A partir dai, somou 3 empates e 6 derrotas, isto já contando com o resultado da temporada que decorre (2014/15) Refiro-me só a jogos do campeonato, porque somando jogos da Taça da Liga e Taça de Portugal, infelizmente ainda há mais 2, 1 para cada competição:
1-2 (TL 2010/2011) e 3-4 (TP 2013/14)
Esta é a lista dos resultados do Sporting na Luz, depois da última vitória:

Campeonato Nacional:
2006/07 1-1 E (Golo: Liedson)
2007/08 0-0 E
2008/09 2-0 D
2009/10 2-0 D
2010/11 2-0 D
2011/12 1-0 D
2012/13 2-0 D
2013/14 2-0 D
2014/15 1-1 E (Golo: Slimani)

Taça da Liga:
2010/11 2-1 D (Golo: Hélder Postiga)

Taça de Portugal:
2013/14 4-3(a.p.) D (Golos: Capel, Mauricio e Slimani)


Cumprimentos,
Rui Nascimento