sábado, 5 de setembro de 2009

Peyroteo - Uma "lenda viva" do Sporting

Fernando Peyroteo (1918-1978), o mais antigo e famoso elemento integrante do lendário quinteto imortalizado de "Os Cinco Violinos", é o maior goleador de sempre da História do Sporting e do futebol português, tendo sido, aquilo a que se pode chamar, uma autêntica "máquina" de fazer golos.
Ao longo de uma carreira de 12 épocas (1937-1949) com a camisola dos "leões", Peyroteo efectuou 393 jogos oficiais, tendo marcado um total de 635 golos, com uma média fabulosa de 1,616 golos por jogo!
Peyroteo é, ainda hoje, a nível mundial, o jogador com melhor média de golos marcados em jogos de campeonatos nacionais, ao obter 297 golos em 183 jogos, o que dá a fantástica média de 1,623 golos por jogo!
Também pertence a Peyroteo o recorde de melhor marcador num jogo oficial, com 9 golos apontados, numa goleada de 14-0 do Sporting ao Leça, a 22 de Fevereiro de 1942. Este resultado é, aliás, a maior goleada de sempre de uma equipa portuguesa no Campeonato Nacional.
A título de curiosidade, recordemos a formação com que o Sporting, treinado pelo húngaro Joseph Szabo, alinhou nesse histórico jogo de Fevereiro de 1942, realizado no antigo Estádio do Lumiar, em Lisboa:
Azevedo; Rui de Araújo e Álvaro Cardoso; Paciência, Daniel e Manuel Marques; Mourão, Soeiro, Peyroteo, Canário e Cruz.
Registe-se, ainda, que nessa época de 1941/42, o Sporting classificou-se em 2º lugar no campeonato, com menos 4 pontos que o campeão, o Benfica. Contudo, os "leões" venceriam o Campeonato de Lisboa, com 2 triunfos sobre o Benfica (4-3 e 4-2).
Sobre Peyroteo, pode-se ainda ler outras curiosidades numa postagem do Nuno Ramos de 8 de Maio de 2009.

12 comentários:

rui disse...

Sem qualquer margem para duvidas... Peyroteo foi o Maior!

Tite disse...

O Peyroteo é mesmo uma lenda.
Gostaria que fosse de facto viva mas Peyroteo já falaceu em 1978, como aliás dizem no post.

Portanto... lenda mas não viva amigos.OK?

Lenda viva é ainda Carlos Lopes que nos deu a glória de medalhas de ouro pelo mundo fora e em especial nos Jogos Olímpicos. Ele aí está para contar os seus feitos de viva voz.

Beijos e abraços leoninos

ALEXANDRE disse...

Quando coloquei no título "lenda viva", tal era, obviamente, em sentido figurado e simbólico, querendo reforçar a ideia de que Peyroteo e os seus feitos continuarão sempre vivos na memória de todos os sportinguistas, pois as lendas nunca morrem! Como disse o grande poeta Luís Vaz de Camões, "(...)se vão da lei da morte libertando".

Leão do Lumiar disse...

Podia ter jogado mais uns anitos.
Pediu para antecipar a sua festa de homenagem/despedida.
Com essa receita,pagou as dívidas/calotes que segundo consta eram já elevadas.
Cansequência da "dolce vita"ou das multas aplicadas por José Szabo?
Mesmo assim era o violino mais bem pago.

Tite disse...

Ainda hoje há quem embandeire em arco quando inicia uma carreira de jogador bem remunerada e gasta perdulariamente sem cuidar de acautelar o futuro.
Quando há dinheiro há excesso de amigos e... de tudo. Depois a carreira acaba e tudo se vai como a água na areia, sem deixar rasto.

sloct disse...

Com todo o respeito por muitos outros foras de série que jogaram no Sporting, para mim, mesmo sem nunca o ter visto jogar, foi o maior avançado de sempre do clube.
Os números falam por si.

Mário disse...

Peyroteo marcou 330 golos em 197 jogos de Campeonato Nacional/I liga.
Ás vezes não se refere os dados da sua 1ª época no Sporting (1937/38) por ainda não ser denominado Camp. Nacional, mas sim, I liga.
No entanto, para efeitos de contabilidade à que contar com essa época, tal como se faz com o nº de títulos (por exemplo, quando se diz que o SLB tem 31 títulos de campeão, está-se a somar os 3 títulos ganhos ainda com a designação de I liga com os 28 como CN), como aliás o faz o site internacional oficial de estatísticas do Futebol IFFHS, ao contrário do site do Sporting!

Conclusão: A média de golos/jogos ainda é mais avassaladora - 1,675 golos por jogo!

Leão do Lumiar disse...

Canal Memória do Lumiar!

Anónimo disse...

Amigo Mário isso está tudo errado. As LIgas foram provas particulares e experimentais, não apagaram o Campeonato de Portugal que se disputou entre 1921 e 1938. Esse era o único que dava o título de campeão. Os jornalistas do Benfica que são a maioria é que começaram a fingir que apagavam a realidade «trocando» os torneios privados e experiemntais (ganharam 3) pelo campeonato de Portugal (ganharam 1). Mas é tudo mentira como é mentira a data falsa da fundação: celebraram o centenário aos 96 anos.
JCFrancisco

Mário disse...

JCFrancisco,
O Campeonato de Portugal, de facto apurava, como o nome indica, o Campeão de Portugal.
Mas esta prova era disputada em eliminatórias até se chegar a uma final, à semelhança das actuais taças.
Houve por isso a necessidade de criar uma outra prova que premiasse a regularidade da equipa campeã, génese dos actuais campeonatos/ligas.

A I liga foi a precursora do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, sendo disputada por 8 clubes, todos contra todos, a duas voltas, em tudo idêntica à prova sua sucessora, o Campeonato Nacional.
Já o Campeonato de Portugal, era disputado em eliminatórias, à semelhança da actual Taça de Portugal, sendo esta, e com toda a naturalidade, a sua sucessora.

Aliás, pode-se comprovar isso na própria Taça de Portugal (a original, não a réplica atribuída aos clubes) presente no relvado do Jamor, onde consta gravado na taça todos os vencedores da prova desde 1938/39 (Académica), bem como todos os vencedores da prova antecessora, o Campeonato de Portugal, desde o primeiro, o FC Porto em 1921/22.
(Por isto, seria mais correcto dizer-se que o Sporting possui 19 Taças de Portugal, ao invés de 15, visto que ganhou 4 Campeonatos de Portugal)

Porém, quem melhor do que a FPF para esclarecer: No seu relatório e contas de 1938/39, época em que o campeonato da I Liga passou a denominar-se I Divisão a Federação Portuguesa de Futebol escreve nas páginas 6 e 7:« Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamentos da Federação, os Campeonatos das Ligas e de Portugal passaram a designar-se, respectivamente, Campeonato Nacional e Taça de Portugal. O Campeonato da 1ª Liga passou a ser Campeonato Nacional da 1ª Divisão, e o Campeonato da 2ª Liga obteve a designação de Campeonato Nacional da 2ª Divisão»

Se não concordas poderás sempre escrever para a FPF, a chamar-lhes de mentirosos! LOL!

P.S.: O SLB venceu 3 Campeonatos de Portugal.

Anónimo disse...

É por isso que o Sporting é um clube diferente,até nos comentadores.

João Celorico disse...

Venho aqui, não para enaltecer as qualidades do Peyroteo, de todos já conhecidas mas para colocar algumas dúvidas. Tenho imensas dúvidas que o Peyroteo tenha alguma vez estado no Belenenses e é a primeira vez que lei-o tal coisa. Vi o seu último jogo, oficial, contra o Benfica no Estádio Nacional, Taça Preparação, Sporting, 1- Benfica , 0. Golo do Veríssimo.
Se verificarem a equipa do Belenenses dessa época, 49/50, não consta o Peyroteo. Ao que me recordo, quem foi para o Belenenses foi o Sidónio, também avançado centro.
Houve, realmente um Peyroteo, no Belenenses, na década de 50 ou talvez já 60. Era um seu sobrinho, ou primo. Não confundir com o José Couceiro, que nunca jogou na equipa principal e é muito mais tarde.
Quanto às afirmações de que ele seria pouco menos que um esbanjador de dinheiro, a ideia que tenho é exactamente a contrária, só que a vida tem percalços e embora se ganhasse algum dinheiro, não dava para grandes farras. Ele investiu numa casa de artigos desportivos mas, pelos vistos, também não deu. Porque é que o Jesus Correia deixou de jogar e preferiu o emprego e o hóquei? Já o Vasques, era outra conversa.
Saudações leoninas
João Celorico